quinta-feira, 23 de julho de 2009

Ver.

"É assim que para o artista a criação começa, na visão. Ver, isso já é uma operação criadora que exige esforço. Tudo o que vemos na vida diária sofre mais ou menos uma deformação produzida pelos hábitos adquiridos e o fato é talvez mais sensível numa época como a nossa, onde o cinema, a publicidade e as revistas nos impõem cotidianamente um fluxo de imagens já prontas [...]. O esforço necessário para se desvencilhar disso exige uma espécie de coragem, e esta coragem é indispensável ao artista, que deve ver todas as coisas como se as estivesse vendo pela primeira vez; é preciso ver toda a vida como quando se era criança; e a perda dessa possibilidade nos retira a de nos exprimirmos de uma maneira original, isto é, pessoal".
Matisse

segunda-feira, 30 de março de 2009

Mais Tarsila do Amaral


Tarsila do Amaral nasceu em 1º de setembro de 1886 na Fazenda São Bernardo, município de Capivari, interior do Estado de São Paulo. Filha de José Estanislau do Amaral e Lydia Dias de Aguiar do Amaral. Era neta de José Estanislau do Amaral, cognominado “o milionário” em razão da imensa fortuna que acumulou abrindo fazendas no interior de São Paulo. Seu pai herdou apreciável fortuna e diversas fazendas nas quais Tarsila passou a infância e adolescência...
Sua biografia completa no site oficial aqui onde também se pode encontrar obras como:
"A Cuca"


"Operários"


e "Manteau Rouge"

domingo, 29 de março de 2009

domingo, 8 de março de 2009

MUSEUS

No Brasil...

http://masp.uol.com.br/
http://www.masc.sc.gov.br/
http://www.museuoscarniemeyer.org.br/
http://www.museuoscarniemeyer.org.br/
http://www.mac.usp.br/mac/
http://casadeportinari.com.br/
http://www.mamrio.com.br/
http://www.palaciodasartes.com.br/home/default.aspx
http://www.mas.ufba.br/
http://www.mauc.ufc.br/

MUSEUS

... e no mundo

http://www.louvre.fr/llv/commun/home.jsp
http://www.guggenheim.org/
http://www.musee-rodin.fr/
http://museoprado.mcu.es/index.php?id=250&tx_indexedsearch[sword]=%20home
http://www.moma.org/
http://www3.vangoghmuseum.nl/vgm/index.jsp?lang=nl

Antropofagia


Sobre a imagem: O Abaporu, Tarsila do Amaral.

Este quadro foi recebido por Oswald de Andrade como presente de Tarsila do Amaral (1886-1973), em 1928. O Abaporu, em tupi-guarani significa "antropófago". "O estudo das práticas rituais antropofágicas mostra que, mesmo quando uma tribo guerreia com outra, há o desejo de incorporar as qualidades do Outro. Idéia muito diferente das guerras do assim chamado mundo "civilizado", no qual uma guerra expressa o desejo de aniquilar totalmente o outro. A vida é devoração, afirma Oswald. "Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente."

Site oficial de Tarsila do Amaral:

http://www.tarsiladoamaral.com.br/